Comissão Nacional Justiça e Paz

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Comissão Nacional Justiça e Paz

POR UMA CIDADANIA PLENA Nota da CNJP sobre os cidadãos portugueses ciganos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Nota Ciganos 

POR UMA CIDADANIA PLENA 

Nota da Comissão Nacional Justiça e Paz sobre os cidadãos portugueses ciganos

Em Portugal, vivem cidadãos portugueses que, por partilharem uma origem e cultura comuns, são reconhecidos como ciganos. Este traço identitário é mais um dos sinais da magnífica diversidade que caracteriza a nossa sociedade, não podendo ser nunca pretexto para apontar alguns grupos como menores ou adjacentes. A Comissão Nacional Justiça e Paz considera que frequentes afirmações públicas acerca destes cidadãos são injustas e incorretas, revelam desconhecimento, evidenciam preconceitos, são profundamente discriminatórias.

Chegaram a Portugal há cerca de 500 anos, aqui se instalaram, constituíram as suas famílias, e participaram na nossa construção e desenvolvimento comuns, como outros grupos o fizeram. Presume-se que representem cerca de 0,5% da população portuguesa. Sabe-se que um número significativo, aproximadamente metade, permanece numa situação de pobreza extrema e exclusão.

O conhecimento deste grupo de cidadãos portugueses permanece refém de estereotipias e preconceitos. O medo do diverso, do que não se conhece, favoreceu ao longo dos tempos o fechamento dos grupos e a consolidação de perceções que foram sendo veiculadas e afirmadas publicamente, induzindo comportamentos discriminatórios e excludentes.

Continuar...
 

CAMINHAR JUNTOS PARA A PÁSCOA Reflexão Quaresmal de 2021 da CNJP

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF


CNJP Logo 3 

CAMINHAR JUNTOS PARA A PÁSCOA

Reflexão Quaresmal de 2021 da Comissão Nacional Justiça e Paz

«Vamos subir a Jerusalém» (Mt 20, 18)


Eis-nos de novo na Quaresma e o Papa Francisco convida-nos a juntarmo-nos a Jesus que nos diz: «Vamos subir a Jerusalém...».

A Quaresma é sempre um tempo especial, mas esta apresenta-se com uma nova fisionomia, apresenta-se carregada de medos num caminho armadilhado e por isso a tentação de desistir da caminhada é grande. Na sua Mensagem, no entanto, o Papa diz-nos que é um «tempo para renovar fé, esperança e caridade». Subir a Jerusalém é ir ao encontro da Páscoa.

Subir a Jerusalém é um caminho a percorrer e podemos fazê-lo juntos no desafio da comunhão e assim «recebemos com o coração aberto o amor de Deus que nos transforma em irmãos e irmãs em Cristo».

O trajeto do tempo presente, o troço que nos propomos calcorrear, tem vários encontros à nossa espera. É uma subida com «a luz da Ressurreição que anima os sentimentos, atitudes e opções» e se orienta pelos marcos da fé, esperança e caridade.

 1. A fé chama-nos a acolher a Verdade e a tornar-nos suas testemunhas diante de Deus e de todos os nossos irmãos e irmãs 

«A fé não resolve a nossa sede.

Muitas vezes intensifica-a, destapa-a e,

em algumas circunstâncias,

torna-a até mais dramática.

Mas a fé ajuda-nos a ver na sede

Uma forma de caminho e de oração».

Tolentino Mendonça, in Elogio da Sede

Continuar...
 

Caderno «Comissão Nacional Justiça e Paz»

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Caderno Comissão Nacional Justiça e Paz - Editorial Cáritas 

Caderno da Editorial Cáritas sobre a Comissão Nacional Justiça e Paz com referência à sessão VIVER A LAUDATO SI' HOJE realizada em 07/11/2020, em modelo webinar, bem como à ação da Comissão Nacional Justiça e Paz desenvolvida ao longo do ano 2020.