Comissão Nacional Justiça e Paz

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Notícias

CHOCANTE DESIGUALDADE Nota da Comissão Nacional Justiça e Paz

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

desigualdades salariais

CHOCANTE DESIGUALDADE

Nota da Comissão Nacional Justiça e Paz

Foi com indignação que muitos receberam recentemente a notícia de que a disparidade entre o nível dos salários dos dirigentes de topo das maiores empresas portuguesas, por um lado, e o nível dos salários médio e mínimo dos trabalhadores dessas empresas, por outro lado, já de si muito elevado (chega a atingir, nalguns casos, a proporção de um para cem), se acentuou no período de crise económica que atravessámos: entre 2010 e 2017, os salários desses dirigentes subiram cerca de 50%, quando o salário médio desses trabalhadores desceu cerca de 6% (ver Expresso de 29/10/2018). Esta situação vem confirmar e agravar a mais geral desigualdade de rendimentos que caracteriza a sociedade portuguesa. Revela uma particular injustiça diante dos sacrifícios por que muitos passaram durante o período dessa crise e de que ainda hoje não recuperaram.

Continuar...
 

Também Somos Terra

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

tambemSomosTerra

Encontro promovido pela Rede Cuidar da Casa Comum.

Programa / Inscrições

 

Tempo para a Criação - Vigília de Oração

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

 

casa comum

 

 

 

CONVITE

Tempo para a Criação 2018

Dia 7 Setembro, 21 horas

Local: Igreja do Coração de Jesus, em Lisboa

Em resposta ao apelo do Papa Francisco  e em comunhão com os cristãos de todo o mundo, haverá, no próximo dia 7 Setembro, uma vigília de oração. Será em Lisboa, na Igreja do Coração de Jesus, na Rua Camilo Castelo Branco, com início às 21 horas.

Procuraremos, em conjunto, viver um tempo-espaço de oração e recolhimento, em resposta à reflexão e apelo do papa Francisco à conversão a uma ecologia integral:

 

  • agradecer a Deus pela obra maravilhosa que Ele confiou ao nosso cuidado;
  • invocar a misericórdia Deus pelos pecados cometidos contra a Criação;
  • pedir a Deus a graça de uma profunda conversão ecológica;
  • renovar a nossa adesão pessoal à própria vocação de guardiões da Criação.

 

Encontra aqui o http://casacomum.pt/wp-content/uploads/2018/08/Vig%25C3%25ADlia-de-Ora%25C3%25A7%25C3%25A3o-7-set.-18.pdf&;source=gmail&ust=1536158401419000&usg=AFQjCNGFGg5e7j71eF2z0tf-aCWQvZfAOg">guião que preparámos para a vigília, o qual pode imprimir se desejar usá-lo nessa ocasião.

Todos estamos convidados a participar!

Passe palavra aos seus amigos!

Saudações fraternas

Rede Cuidar da Casa Comum. A Igreja ao serviço da ecologia integral (http://www.casacomum.pt/&;source=gmail&ust=1536158401419000&usg=AFQjCNF2Xd94v-OD5X5xtEKrMtC3A2VosA">casacomum.pt)


 


 

Laudato si' É hora de ação!

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Laudato si Vaticano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

«Que mundo queremos deixar em herança? Era a pergunta que ecoava durante a Conferência internacional "Salvar a nossa casa comum e o futuro da vida na terra", realizada no Vaticano, de 5 a 6 de julho passado, por ocasião do 3º aniversário da Laudato Si.» José Maia, Secretário-Geral da Comissão Nacional Justiça e Paz, participou na Conferência e deixa-nos o seu testemunho. Aqui

 

 

AQUARIUS

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A decisão dos governos de Malta e de Itália de recusar a entrada do navio Aquarius nos portos desses países, contrariando o que vinha sendo prática habitual em casos semelhantes, causou indignação em muitas pessoas. O navio, da O.N.G Sos Mediterranée, tinha salvo do naufrágio centenas de refugiados e migrantes, alguns deles menores desacompanhados, muitos com necessidades de assistência imediata. Veio a ser recebido em Valência, por decisão do governo espanhol. A Igreja espanhola manifestou a sua total disponibilidade para colaborar no acolhimento dessas pessoas. Disse, a propósito o cardeal arcebispo de Madrid, D. Carlos Osoro, que o Aquarius é «um apelo de Cristo à Europa». Ou seja, um teste à coerência da Europa com as suas raízes cristãs e com o propósito político de respeito pelos direitos humanos. E o cardeal Ravasi evocou, também a propósito desta questão, as palavras de Jesus no Evangelho: «Era forasteiro e recebeste-Me».

Continuar...