Comissão Nacional Justiça e Paz

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Notícias

Reportagem da conferência CNJP 2015

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

 

 

CNJP integra Plataforma de Apoio aos Refugiados

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A Comissão Nacional Justiça e Paz é uma das organizações aderentes à Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR). Essa plataforma conta com o apoio de mais de 30 organizações da sociedade civil que se mobilizaram para a resposta à grave crise humanitária de refugiados que chegam à Europa. As suas iniciativas podem ser conhecidas em www.refugiados.pt.

[www.refugiados.pt | notícia Ecclesia | notícia Público]

 

Dia Mundial da Oração pelo Cuidado da Criação

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

O primeiro dia de Setembro vai passar a ser para os católicos o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação. O Papa Francisco instituiu este novo dia numa carta com data de dia 6, divulgada esta segunda-feira pelo Vaticano.

A decisão surge na sequência da recente encíclica do Papa, "Laudato Si", a primeira de um Papa inteiramente dedicada à ecologia.

"Anualmente, o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação oferecerá a cada fiel e às comunidades a preciosa oportunidade para renovar a adesão pessoal à própria vocação de guardião da criação, elevando a Deus o agradecimento pela obra maravilhosa que Ele confiou ao nosso cuidado, invocando a sua ajuda para a protecção da criação e a sua misericórdia pelos pecados cometidos contra o mundo em que vivemos", escreve Francisco.

(...)

Fonte: Rádio Renascença

 

«Amnistia Internacional e prostituição»

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Texto da autoria de Pedro Vaz Patto sobre a posição favorável à legalização da prostituiçã da Aministia Internacional:

A Amnistia Internacional passou a adotar uma posição favorável à legalização da prostituição e da descriminalização do proxenetismo (punível pela legislação penal portuguesa e de muitos países), assim como da conduta do cliente (punível na legislação sueca e de países que seguem este modelo). Considera que o exercício consentido da prostituição é expressão de um direito fundamental de autonomia pessoal («com o meu corpo, posso fazer o que quero»). E a legalização seria uma forma de garantir às pessoas que se prostituem o exercício de direitos laborais e de segurança social.

Continuar...
 

«Uma questão que não está encerrada»

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Texto da autoria de Pedro Vaz Patto sobre o debate da Iniciativa Legislativa de Cidadãos “Lei de apoio à maternidade e paternidade - do direito a nascer”:

Há quem diga que esta questão ficou encerrada com o referendo de 2007 e que é hoje pacífica. A vivacidade (ou a violência) do debate a que assistimos revela o contrário. Mas não era intenção da iniciativa legislativa em causa reacender essa questão, como se vê pelo conteúdo da Lei aprovada. Era o de estabelecer pontes, em torno de um objetivo comum de apoio à maternidade e paternidade. Os opositores a essa iniciativa acusaram os seus proponentes de “fundamentalismo” e “extremismo”. Mas onde está o “extremismo”? Na proposta que foi aprovada, ou a quem a ela se opôs tão violentamente?

Continuar...