Comissão Nacional Justiça e Paz

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Notícias

Relação da Igreja com os pobres passa por acolhimento transformador

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Em entrevista ao Semanário Ecclesia Teresa Vasconcelos, vogal da Comissão Nacional Justiça e Paz, aborda, temas centrais da mensagem do Papa Francisco para a celebração do I Dia Mundial dos Pobres, num olhar que convida à transformação de relações humanas e sociais e numa caminhada conjunta em que todos têm algo a dar e a receber.

 

Partiu um amigo para o Pai

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Ao participar na cerimónia das exéquias do D. Manuel Martins, Bispo Emérito de Setúbal, na passada terça-feira, dia 26 de Setembro, com o coração consternado, não pude deixar de me sentir um privilegiado pelo facto de me poder contar entre os seus amigos.

Alguns meses após a entrada do D. Manuel em Setúbal, primeiro por causa da elaboração dos Estatuto da Assembleia Diocesana e depois pelo facto de ser sido nomeado por ele para a Comissão Diocesana Justiça e Paz, tive a oportunidade de conhecer uma «figura» que contribuiu para consolidar traços importantes da minha postura como Cristão e como Homem.

Continuar...
 

«Morreu um homem bom e um grande bispo»

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Quando morre um homem bom o mundo fica mais pobre. Hoje, Portugal e a sua Igreja perderam um desses homens que nos fazem falta: D. António Francisco, o bispo do Porto. Reconhecidamente um homem bom.

[Graça Franco, Renascença]

Continuar...
 

O desafio de ser cristão no trabalho

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Tive o grato prazer de acompanhar a elaboração de um texto (Ser Cristão no Trabalho - Um Desafio! ) que resulta do diálogo e comunhão entre representantes de várias organizações católicas, entre elas associações de trabalhadores e de empresários.

As perspetivas de que partiam estas associações de trabalhadores e empresários não eram uniformes, e não o são ainda hoje. Mas uns e outros identificam-se com os princípios da doutrina social da Igreja. Podemos, pois, dizer que entre elas os pontos de união são mais relevantes e sólidos do que os de divergência. Mas a verdade é que nem sempre esta realidade vem em evidência, neste como noutros âmbitos do diálogo intraeclesial.

Continuar...
 

Entrevista a Maria do Rosário Carneiro sobre Populorum Progressio, que comemora 50 anos

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF