Obrigado

M. Oliveira de Sousa
Professor

No dia que escrevo este apontamento – quase 25 anos depois de o ter começado, foi a 2 de outubro de 1992 – sinto-me como que, por metáfora, num pêndulo que oscila entre o 11 de abril (quando em observância do alvará de 11 de abril de 1759, publicada a carta de lei, foi elevada a antiga vila de Aveiro à categoria de cidade – Livro dos Registos, fls. 303v-305; Colectânea, II, pgs. 586-588 – e o 12 de abril (de 1774, a Diocese de Aveiro, sufragânea da Arquidiocese de Braga, foi criada pelo Papa Clemente XIV, mediante o breve “Militantis Ecclesiae gubernacula”). Isto é, no diálogo entre a Cidade e a Igreja, é sensato que nesta fase dos meus compromissos com a Cidade, cesse aqui esta participação específica como Igreja! Continuarei a sê-lo noutros areópagos.
É em nome do diálogo entre as cidades que termino o Ponta de Lança: “Dois amores erigiram duas cidades, Babilónia e Jerusalém: aquela é o amor de si até ao desprezo de Deus; esta, o amor de Deus até ao desprezo de si”. Santo Agostinho, A Cidade de Deus,2, L. XIV, XXVIII – mesmo que o caminho moral, de Babilónia e Jerusalém, é compromisso de transformação das pessoas e das realidades que permitirão chegar de uma à outra!
Cumpre-se o adágio: à mulher de César não basta dizer que é séria, tem de o demonstrar. Por isso, entendemos (eu e o Correio do Vouga) que, por força dos compromissos públicos que agora assumo com maior responsabilidade, não deve ficar esta participação a comprometer o “Correio do Vouga” em suspeitas de colaboração facciosa (coisa que para nós é impossível, mas poderia não o ser aos olhos de todos os leitores).
Termino agradecido. Agradeço ao “Correio do Vouga” por ter permitido uns bons milhares de páginas, que começaram como teor desportivo (desportivamente… pelo desporto) e terminam como compromisso social e cívico. Fomos muitos a pensar e também a escrever. Mas isso já está em livro, permitam que o remeta para lá!
Obrigado a quem confiou, leu e criticou.
Em frente, vamos!

 

Nota da Direção do CV: O Correio do Vouga agradece a Manuel Oliveira de Sousa os quase 25 anos de generosa colaboração semanal e deseja-lhe os maiores sucessos no serviço à causa pública.