Famílias santas no amor

O amor a Deus e o amor aos outros, sobretudo aos que estão mais perto de nós, na nossa família, são as duas coordenadas fundamentais a partir das quais se deve construir a família cristã. Essa é a principal mensagem das leituras da Festa da Sagrada Família que celebramos hoje.

O Evangelho sublinha, sobretudo, a dimensão do amor a Deus: o projeto de Deus tem de ser a prioridade de qualquer cristão, a exigência fundamental, a que todas as outras se devem submeter. A família cristã constrói-se no respeito absoluto pelo projeto que Deus tem para cada pessoa.

A segunda leitura sublinha a dimensão do amor que deve brotar dos gestos de todos os que vivem em Cristo. Esse amor deve atingir, de forma mais especial, todos os que connosco partilham o espaço familiar e deve traduzir-se em determinadas atitudes de compreensão, de bondade, de respeito, de partilha, de serviço.

A primeira leitura apresenta, de forma muito prática, algumas atitudes que os filhos devem ter para com os pais. É uma forma de concretizar esse amor de que fala a segunda leitura.

No final do Evangelho, Lucas diz que «Maria guardava todos estes acontecimentos no seu coração». Noutra passagem, Jesus diz que aquele que está na boa terra é o que escuta a palavra com um coração leal e bom, a guarda no coração e produz frutos. Esta palavra de Jesus aplica-se à sua mãe. A meditação permite entrar no pensamento de Deus para se lhe submeter. Se Jesus, voltando a Nazaré, era submisso a seus pais, estes aceitarão submeter-se à vontade de Deus. Maria disse o “sim” da anunciação, para que tudo se realizasse segundo a vontade de Deus. Um “sim” que ela voltará a dizer ao pé da cruz, mesmo na dúvida e no questionamento. Maria e José realizaram uma verdadeira peregrinação efetuando, não somente a caminhada de Nazaré a Jerusalém, mas sobretudo a caminhada do questionamento ao ato de fé.

Olhemos para as nossas famílias. Serão santas, se o nosso coração, como o de Maria, for leal e bom; se, como Maria, guardarmos a Palavra de Jesus; se, com a mesma perseverança de Maria, produzirmos frutos para a maior glória de Deus. Rezemos para que o Senhor nos dê a graça de sermos famílias autênticas, comunidades de fé, de esperança e de amor.

Vamos viver uma semana importante, com a passagem de ano (embora o verdadeiro início de ano para os cristãos seja o primeiro domingo do Advento), a Festa da Mãe de Deus e o Dia Mundial da Paz. Que a Palavra de Deus seja companhia e luz para os nossos corações, nas nossas famílias, no nosso mundo. Sempre em atitude de fé e de conversão, em espírito de família e de amor fraterno.

Manuel Barbosa, scj
www.dehonianos.org