CCIT FAZ O SEU ENCONTRO ANUAL EM BANNEUX, SANTUÁRIO DA VIRGEM DOS POBRES

CCIT FAZ O SEU ENCONTRO ANUAL EM BANNEUX, SANTUÁRIO DA VIRGEM DOS POBRES

O CCIT (Comité Católico Internacional para os Ciganos) realizou o seu encontro anual no Santuário Mariano de Banneux, na Bélgica, de 6 a 8 de abril, sobre o tema "A piedade popular, culto e devoção". Em Banneux, Nossa Senhora apareceu à pequena Mariette Beco (11 anos), entre 15 de janeiro e 2 de março de 1933, a quem disse: "Eu sou a Virgem dos Pobres". Em 1949 a Igreja reconheceu a autenticidade das aparições. Mons. Patrick Hoogmartens, Bispo de Hasselt e Presidente da Comissão Episcopal da Evangelização da Conferência Episcopal da Bélgica, concluiu a sua homilia de Sábado, dizendo: "assim possamos nós contribuir para que eles (os ciganos) sintam a dignidade de serem reconhecidos como filhos de Deus. Assim possamos nós ajudá-los a derrubar, eles próprios, os muros do isolamento e da exclusão e a sentir-se em casa nas nossas comunidades com todos os outros filhos de Deus".

 

Na sua mensagem aos participantes no encontro, o Cardeal Peter Turkson, Perfeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, que participou no Encontro, recordou o Beato Zeferino Giménez Malla, dizendo que "ele é o exemplo por excelência da piedade popular autêntica, que nasce de uma fé convicta no Senhor. A sua profunda espiritualidade era modelada na escola de Maria, Mãe de Deus e diante do Santíssimo Sacramento."

 

Elisa e Léon Tambour (EL) que participaram no nascimento do CCIT em Paris em 25 de janeiro de 1976 "resituaram" a história e a espiritualidade do CCIT. Segundo EL, a espiritualidade do CCIT  "é um presente dos próprios Ciganos, ela encontra a sua fonte na relação que nós vivemos com eles desde que se está em verdadeira familiaridade. É a "espiritualidade da chávena de café" recebida ou dada mas sempre partilhada; é à volta desta forma simples mas crucial que se dá a partilha e, portanto, a descoberta recíproca do outro, em pé de igualdade, apesar de todas as diferenças. Se ela é sustentada pelos valores evangélicos, tal descoberta dos sofrimentos do outro, das suas alegrias, das suas aspirações, das suas riquezas, gera a amizade. E a amizade não é um caminho para a Pastoral, ela é já, por si mesma, uma pastoral com dimensão humana, ela é uma espiritualidade.

No Encontro, o P. Frei Francisco Sales Diniz, O.F.M., Diretor da ONPC, foi designado Vice-Presidente do CCIT. Participaram no Encontro 126 participantes de 19 países.