Ciganos são Notícia

TSF (23 mar)

TSF (23 mar)

A TSF entrevistou o Presidente da FECALP (Federação Calhim Portuguesa), Rafael Ximens, sobre os efeitos e perigos da pandemia nas populações ciganas, particularmente naquelas que ainda vivem, em barracas.

TSF, JN, Rádio Renascença (abr, mai)

TSF, JN, Rádio Renascença (abr, mai)

Sobre o mesmo tema foi entrevistado o vice-Presidente da FECALP, António Pinto Nunes (APN). A intervenção na RR deu-se em 11 de maio, no programa “As 3 da manhã” e APN referiu-se também à então recente controvérsia a propósito do anticiganismo manifesto na intervenção de André Ventura na AR.

Antena 1 (2 abr)

Antena 1 (2 abr)

No noticiário das 8 horas, a Antena 1 referiu entrevistas que teve sobre os efeitos da pandemia, com Prudêncio Canhoto, Presidente da AMEC (Associação dos Mediadores Ciganos de Portugal) com sede em Beja, relativamente ao Bairro das Pedreiras em Beja onde vivem 800 pessoas ciganas e com a Alta Comissária para as Migrações (ACM), Sónia Pereira, sobre a pandemia e as populações ciganas.

 

Continuar...

Expresso (6 julho) - DISCRIMINAÇÃO

Expresso (6 julho) - DISCRIMINAÇÃO

“Portugal tem racismo não assumido”

Discriminação: Relatório sobre racismo reconhece desigualdades no tratamento de minorias étnico-raciais, em todas as áreas da sociedade. Os ciganos são os mais prejudicados.

“O Instituto Nacional de Estatística recusou-se a introduzir uma pergunta sobre a origem étnico-racial nos próximos Censos, mas o ‘Relatório sobre Racismo, Xenofobia e Discriminação’, concluído pela Assembleia da República (AR), identifica a falta de dados quantitativos sobre as comunidades minoritárias como um dos grandes obstáculos para combater as desigualdades existentes no país. Fala mesmo na ‘necessidade urgente de informação para poder desenvolver políticas públicas’. Ainda assim, o relatório permite chegar a uma conclusão clara: “Portugal é um país em que há comportamentos racistas, com um racismo que não é assumido e como não é assumido, torna-se um não assunto e não se fala dele”, explica Catarina Marcelino, a deputada socialista relatora do documento. “Serve para confirmar, de forma objetiva, que há problemas de discriminação que têm de ser resolvidos com políticas públicas. É fundamental a intervenção do Estado para corrigir e minimizar a situação, defende. Elaborado ao longo de cinco meses”, o documento foi apresentado na AR em 9 de julho.

 

Continuar...

Jornal de Leiria (14 mar) - DIVERSOS

Jornal de Leiria (14 mar) - DIVERSOS

Os ciganos de Alcobaça

Orlando Fernandes publicou um artigo na secção “Sociedade” em que se refere a problemática que, na opinião do Autor, existe em Alcobaça, no convívio entre ciganos e não ciganos. São referidos testemunhos em que, se referem, por um lado, dificuldades na inclusão, e por outro, racismo.

 

Continuar...

Mais artigos...