Ciganos são Notícia

Visão (19 maio)

Visão (19 maio)

Alcina Faneca: “Não sou menos cigana porque estudei e me tornei uma mulher independente”

Licenciada em Direito e especializada em Direito Criminal, a advogada de 28 anos, com escritório em Trás-os-Montes, sempre teve o apoio da família para seguir o sonho de ser juíza, mas a sua comunidade apontou-lhe o dedo – por Sónia Calheiros. excertos

Alcina Faneca (AF) abriu o seu escritório há dois meses, em parceria com dois colegas de Esposende, mas está sozinha em Torre de Moncorvo. Não pretende ser advogada só de pessoas de etnia cigana, mas de todas as pessoas que a procurarem.

Refere que “sempre sonhei ser juíza desde que comecei a ouvir dizer que as decisões em relação à etnia cigana nem sempre eram imparciais”. “Faziam-me confusão certas situações que envolviam as pessoas da comunidade. Queria conseguir fazer justiça e reverter a situação. Agora, vou ganhar experiência e, daqui a meia dúzia de anos, quando a minha filha for mais crescida, concorro ao Centro de Estudos Judiciários pela via profissional”.

 

Continuar...

Defesa de Espinho (5 mai)

Defesa de Espinho (5 mai)

Maria do Carmo Rocha em encontro na Alemanha

A silvadense Maria do Carmo Rocha participou,    mais uma vez, no Encontro Internacional do CCIT (Comité Católico Internacional para os Ciganos) que decorreu em Erzabtei St. Ottiiien, na Alemanha, e que contou com a participação de 15 países. A presidente da  Obra Vicentina de Auxilio ao Cigano (OVAC) representou Portugal, concretamente a Diocese do Porto juntamente com outros representantes das dioceses de Vila Real e Lisboa.

Na abertura da sessão, o padre Claude Dumas leu uma mensagem do Conselho Pontifício sobre a hospitalidade inter-religiosa no atual envolvimento sociopolítico. Durante o Encontro, foi abordada a situação dos ciganos na Alemanha. “Os padres das paróquias onde vivem ciganos imigrantes prestam auxílio espiritual e social”, registou Maria do Carmo Rocha. “Em alguns casos já têm, inclusivamente, encontrado trabalho para estas famílias”.

 

Continuar...

Escalada (jornal do Concelho Central Vicentino do Porto - abr)

Escalada (jornal do Concelho Central Vicentino do Porto -   abr)

Obra Vicentina de Auxílio aos Ciganos - OVAC - Encontro Internacional do CCIT

A presidente da OVAC; Maria do Carmo Rocha, participou, mais uma vez, no Encontro Internacional do CCIT (Comité Católico Internacional para os Ciganos) que decorreu na Alemanha em Erzabtei, St. Otilien, de 22 a 25 de abril e que contou com a participação de 15 países, incluindo Portugal. O tema deste ano foi a "Hospitalidade mútua conduz a uma conversão". cf. notícia no texto anterior

Pela Obra Vicentina,

Maria do Carmo Rocha

Ecclesia – internet (4 mai)

Ecclesia – internet (4 mai)

Igreja: Encontro anual do Comité Católico Internacional para os Ciganos centrado na «hospitalidade mútua»

Delegação de Portugal participou no encontro realizado na Abadia de St. Ottilien, na Baviera

A Obra Nacional da Pastoral dos Ciganos (ONPC) participou no encontro anual do Comité Católico Internacional para os Ciganos (CCIT), que teve lugar de 22 a 24 de abril, na Abadia de St. Ottilien, na Baviera (Alemanha), sob o tema ‘A hospitalidade mútua’. Portugal esteve representado por pessoas da ONPC e das Dioceses de Lisboa, Porto e Vila Real.

“O CCIT vive a dimensão da espiritualidade do acolhimento, que permite construir uma relação de amizade baseada num verdadeiro intercâmbio, em pé de igualdade entre Ciganos e Gadgé. Esforça-se por manifestar e por viver a mensagem do Evangelho que encoraja a acolher os outros, sobretudo aqueles que são os mais frágeis na sociedade, como ‘encarnações vivas de Cristo’”, assinalou o Cardeal Michael Czerny, presidente interino do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral (Santa Sé), numa mensagem ao encontro, divulgada hoje a ONPC no jornal ‘A Caravana’.*

O diretor-executivo da ONPC, Francisco Monteiro (FM), recorda que o Cardeal Michael Czerny assinalou que os membros do CCIT “se esforçam por construir pontes entre dois mundos culturais diferentes”, na tentativa de construir uma comunidade em que “a hospitalidade e a fraternidade cristãs universais que são proclamadas se tornem verdadeiramente realidade”. “Isso exige também que as comunidades de fiéis pratiquem diferentes formas de hospitalidade e de acolhimento para com os ciganos que chegam”.

 

Continuar...

Secretariado Diocesano de Lisboa da Pastoral dos Ciganos (SDL) (2 mai)

Secretariado Diocesano de Lisboa da Pastoral dos Ciganos (SDL) (2 mai)

Jornais dos Centro de apoio comunitários – 2º P 2021/22

Editorial

É com muito gosto que escrevo estas palavras de abertura aos “jornalinhos”, veículos que se transformam em mensagem portadora da notícia do muito trabalho que os nossos meninos e meninas desenvolveram ao longo deste 2º. Período.

Para lá da frequência escolar, sempre encorajada, um outro processo de aprendizagem se tornou responsável pelo “crescimento” intelectual e humano de todas e todos. Isso é visível nas diversas actividades decorrentes do programa geral, mas torna-se também realidade em certas situações que fizeram viver experiências novas.

 

Continuar...

Mais artigos...