NEVIPENS ROMANÍ (16-28 fev) - RACISMO - ANTICIGANISMO

NEVIPENS ROMANÍ (16-28 fev) - RACISMO - ANTICIGANISMO

O Parlamento Europeu denuncia uma discriminação sistemática contra os ciganos e pede objetivos vinculativos para a sua integração

A sessão plenária do Parlamento Europeu (PE) denunciou a discriminação sistemática que os ciganos têm de enfrentar na União Europeia (UE)

A proposta do PE visa dar continuidade às estratégias nacionais cuja meta é 2020. Numa resolução não vinculativa aprovada pela maioria, os eurodeputados, denunciaram a violência, a exploração e a estigmatização histórica e institucional que a comunidade cigana sofre e cujos direitos fundamentais continuam a ser 'sistematicamente' violados na UE. O texto lembra que a segregação nas escolas, a falta de acesso à habitação, emprego e serviços médicos são os principais problemas da comunidade romani em toda a UE e alerta para o aumento do número de jovens ciganos que não têm trabalho nem estudam.

 

Neste contexto, o PE pede medidas mais firmes para combater o anti-ciganismo, e exige mecanismos para avaliar os objetivos calendarizados de integração e que sejam envolvidos mais representantes da comunidade cigana e das ONG na conceção das políticas de integração.

 

Os eurodeputados pedem a atribuição de mais fundos públicos "substanciais" para facilitar a integração dos ciganos e o aproveitamento dos fundos estruturais da UE para melhorar as suas condições de vida, exigindo simultaneamente que os Estados-Membros investiguem o mau uso que se tenha feito das ajudas e tomem medidas legais contra os responsáveis ​​por estas decisões.

No texto também se exige a proteção dos direitos das crianças ciganas e a melhoria da representação da comunidade cigana nas instituições públicas, nos órgãos políticos e nos meios de comunicação social.